cv.sinergiasostenible.org
Novas receitas

Pratos de jantar sem cozimento para as noites sufocantes de verão

Pratos de jantar sem cozimento para as noites sufocantes de verão



We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.


É possível dar um jantar sem nem mesmo ligar o forno

Pratos de jantar sem cozimento para as noites sufocantes de verão

Thinkstock

Quando é muito quente para cozinhar, dar um jantar é totalmente desagradável: se você tiver a sorte de ter uma grelha, vai acabar suando por várias horas; se você não tiver uma churrasqueira, precisará ligar o forno e aumentar a temperatura do apartamento para mais de 40 graus. Mas nenhuma dessas opções precisa ser aplicada - uma ideia muito melhor é dar um jantar sem cozinhar nada. Você nem precisa ferver uma panela de água.

Salada de feijão, atum e aipo

Thinkstock

Salada Caprese

Shutterstock

Cheesecake Recheado Morangos

Thinkstock

Ceviche de Aguja com gengibre e mezcal

Shutterstock

Torta de Sorvete com Quatro Ingredientes

Thinkstock

Gazpacho de tomate relíquia

Thinkstock

Tartine de Abacate com Ervas

Shutterstock

Salada de Frango com Abobrinha Marinada e Amêndoas de Marcona

Thinkstock

Sorvete de Biscoito De Manteiga No-Churn

Shutterstock

Abacaxi Com Menta Esmagada

Salada Picante de Caranguejo e Abacate

Thinkstock

Melancia Com Menta e Feta

Shutterstock

Macarrão De Abobrinha Com Pesto De Amêndoa

Thinkstock


Como organizar um lindo jantar de verão sem cozinhar

Para revisar este artigo, visite Meu perfil e, em seguida, Exibir histórias salvas.

Na cozinha com Skye McAlpine.

Para revisar este artigo, visite Meu perfil e, em seguida, Exibir histórias salvas.

Meu tipo favorito de festa é o que acontece no último minuto. Uma bebida rápida em casa que se transforma em um jantar adequado. Aquele tipo de noite que é deliciosamente espontâneo, onde você cozinha e conversa e em algum lugar ao longo do caminho você come. É tudo muito casual e não tem nenhum dos escrúpulos enfadonhos que as palavras & quotdinner & quot e & quotfesta & quot inevitavelmente parecem evocar quando ditas juntas.

Este tipo de entretenimento sem esforço - às vezes improvisado no calor do momento, às vezes não - é, francamente, o que faço. É o que eu amo. E eu acho que é mais fácil no verão, não é apenas porque o clima deixa todo mundo com um humor despreocupado e bebendo rosé, embora isso ajude, é claro. É também que a comida é mais simples no verão, há uma abundância de produtos frescos e sazonais para brincar. E ao contrário dos vegetais de raiz do outono, que têm tudo a ver com torrefação lenta, ou os produtos de inverno amargo que realmente só se destacam com um refogado bem feito, bons ingredientes de verão pedem pouco (ou nada) mais. Pense em tomates (a variedade rechonchuda e saborosa em um prato bonito com um fiozinho de azeite e algumas folhas de manjericão espalhadas), um pão, um pouco de charcutaria, uma garrafa de vinho e você está no meio do caminho para um jantar completo. E aqueles suculentos melões de laranja doce que estão entrando na temporada agora, corte-os e cubra-os com fatias de presunto crudo salgado e você terá prosciutto e melone benção.

A comida de verão, você vê, é uma gratificação instantânea que faz até mesmo aqueles de nós que não se dizem cozinheiros se sentirem intuitivos, legais e confiantes na cozinha. Comece com burrata, compre, muito. Burrata em um prato com um fiozinho de azeite e coberto com quase tudo. A receita abaixo pede slithers de limões em conserva, que são picantes e salgados e fazem o elogio mais extravagante à cremosidade requintada do queijo, mas existem inúmeras outras variações sobre o mesmo tema que funcionam tão bem. Experimente a burrata com alguns tomates-bebê doces, talvez um fiozinho de salsa verde ou um punhado de azeitonas pretas picadas e alcaparras. Francamente, mesmo a burrata sozinha é sublime.

Panzanella é outro favorito meu, uma salada de pão toscano, seu próprio nome pan-za-nella rola para fora da língua com o mesmo charme lânguido inebriante da dolce-vita. Na minha opinião, é a encarnação culinária de la dolce vita. Essencialmente: pão rasgado em pedaços grosseiros, embebido em azeite de oliva e misturado com tomates, cebola roxa doce, erva-doce, azeitonas e até anchovas ou uma lata de atum, se tiver à mão. Eu amo panzanella, é o tipo de prato que não existe maneira certa ou errada de fazer.

Para o resto: são os pequenos toques que criam essa sensação de ocasião. Lindos guardanapos de linho, bem passados ​​e colocados em seus talheres (se você não tiver bons guardanapos, toalhas de chá servirão), melhor ainda se eles forem incompatíveis, pois adiciona personalidade à mesa. Um jarro de flores: peônias rosa ou rosas exageradas de jardim, com alguns ramos de lavanda, sálvia e vegetação desordenada misturados. Cuidado para não cortar os caules com muita rigidez, você deseja criar aquela aparência casual de que foram colhidos do seu jardim, mesmo se você não tiver um jardim. E se for jantar, então velas, muitas delas e de todas as alturas diferentes. A luz de velas mascara os pecados das cozinhas mais simples e transformará praticamente qualquer mesa de jantar antiga em algo totalmente mágico.

E por último, mas não menos importante: sobremesa. A sobremesa eleva todas as refeições, por mais humildes ou simples que sejam. Não precisa ser algum tipo de grande confecção culinária que você possa comprar uma torta de frutas ou um bolo na loja, certamente não há vergonha nisso. Sempre tem sorvete, comprado em uma gelateria decente e servido em cones - isso dá à festa um charme ao ar livre e quem não gosta de comer sorvete de casquinha? Mas nesta época do ano, considere também uma tigela de morangos, empilhados de forma extravagante (mais é sempre mais nesses casos) e servidos com creme de leite. Ou frutas silvestres que nadam em seus sucos e vinho tinto com consistência de calda. E aí está, a (s) receita (s) para um jantar perfeito sem cozimento.


Como organizar um lindo jantar de verão sem cozinhar

Para revisar este artigo, visite Meu perfil e, em seguida, Exibir histórias salvas.

Na cozinha com Skye McAlpine.

Para revisar este artigo, visite Meu perfil e, em seguida, Exibir histórias salvas.

Meu tipo favorito de festa é o que acontece no último minuto. Uma bebida rápida em casa que se transforma em um jantar adequado. Aquele tipo de noite que é deliciosamente espontâneo, onde você cozinha e conversa e em algum lugar ao longo do caminho você come. É tudo muito casual e não tem nenhum dos escrúpulos enfadonhos que as palavras & quotdinner & quot e & quotfesta & quot inevitavelmente parecem evocar quando ditas juntas.

Este tipo de entretenimento sem esforço - às vezes improvisado no calor do momento, às vezes não - é, francamente, o que faço. É o que eu amo. E eu acho que é mais fácil no verão, não é apenas porque o clima deixa todo mundo com um humor despreocupado e bebendo rosé, embora isso ajude, é claro. É também que a comida é mais simples no verão, há uma abundância de produtos frescos e sazonais para brincar. E, ao contrário dos vegetais de raiz do outono, que têm tudo a ver com torrefação lenta, ou os produtos de inverno amargo que realmente só se destacam com um refogado bem feito, bons ingredientes de verão pedem pouco (ou nada) mais. Pense em tomates (a variedade rechonchuda e saborosa em um prato bonito com um fiozinho de azeite e algumas folhas de manjericão espalhadas), um pão, um pouco de charcutaria, uma garrafa de vinho e você está a meio caminho de um jantar completo. E aqueles suculentos melões de laranja doce que estão entrando na temporada agora, corte-os e cubra-os com fatias de presunto crudo salgado e você terá prosciutto e melone benção.

A comida de verão, você vê, é uma gratificação instantânea que faz até mesmo aqueles de nós que não se chamam cozinheiros se sentirem intuitivos, legais e confiantes na cozinha. Comece com burrata, compre, muito. Burrata em um prato com um fiozinho de azeite e coberto com quase tudo. A receita abaixo pede slithers de limões em conserva, que são picantes e salgados e fazem o elogio mais extravagante à cremosidade requintada do queijo, mas existem inúmeras outras variações sobre o mesmo tema que funcionam tão bem. Experimente a burrata com alguns tomates-bebê doces, talvez um fiozinho de salsa verde ou um punhado de azeitonas pretas picadas e alcaparras. Francamente, mesmo a burrata sozinha é sublime.

Panzanella é outro favorito meu, uma salada de pão toscano, seu próprio nome pan-za-nella rola para fora da língua com o mesmo charme lânguido inebriante da dolce-vita. Na minha opinião, é a encarnação culinária de la dolce vita. Essencialmente: pão rasgado em pedaços grosseiros, embebido em azeite de oliva e misturado com tomates, cebola roxa doce, erva-doce, azeitonas e até anchovas ou uma lata de atum, se tiver à mão. Eu adoro panzanella, é o tipo de prato que não existe maneira certa ou errada de fazer.

Para o resto: são os pequenos toques que criam essa sensação de ocasião. Bonitos guardanapos de linho, bem passados ​​e colocados em seus talheres (se você não tiver bons guardanapos, toalhas de chá servem), melhor ainda se eles forem incompatíveis, pois adiciona personalidade à mesa. Um jarro de flores: peônias rosa ou rosas exageradas de jardim, com alguns ramos de lavanda, sálvia e vegetação desordenada misturados. Cuidado para não cortar os caules com muita rigidez, você deseja criar aquela aparência casual de que foram colhidos do seu jardim, mesmo se você não tiver um jardim. E se for jantar, então velas, muitas delas e de todas as alturas diferentes. A luz de velas mascara os pecados das cozinhas mais simples e transformará praticamente qualquer mesa de jantar antiga em algo totalmente mágico.

E por último, mas não menos importante: sobremesa. A sobremesa eleva todas as refeições, por mais humildes ou simples que sejam. Não precisa ser algum tipo de grande confecção culinária que você possa comprar uma torta de frutas ou um bolo na loja, certamente não há vergonha nisso. Sempre há sorvete, comprado em uma gelateria decente e servido em cones - isso dá à festa um charme ao ar livre e quem não gosta de comer sorvete de casquinha? Mas nesta época do ano, considere também uma tigela de morangos, empilhados de forma extravagante (mais é sempre mais nesses casos) e servidos com creme de leite. Ou frutas silvestres que nadam em seus sucos e vinho tinto com consistência de calda. E aí está, a (s) receita (s) para um jantar perfeito sem cozimento.


Como organizar um lindo jantar de verão sem cozinhar

Para revisar este artigo, visite Meu perfil e, em seguida, Exibir histórias salvas.

Na cozinha com Skye McAlpine.

Para revisar este artigo, visite Meu perfil e, em seguida, Exibir histórias salvas.

Meu tipo favorito de festa é o que acontece no último minuto. Uma bebida rápida em casa que se transforma em um jantar adequado à mesa. Aquele tipo de noite que é deliciosamente espontâneo, onde você cozinha e conversa e em algum lugar ao longo do caminho você come. É tudo muito casual e não tem nenhum dos escrúpulos enfadonhos que as palavras & quotdinner & quot e & quotfesta & quot inevitavelmente parecem evocar quando ditas juntas.

Este tipo de entretenimento sem esforço - às vezes improvisado no calor do momento, às vezes não - é, francamente, o que faço. É o que eu amo. E eu acho que é mais fácil no verão, não é apenas porque o clima deixa todo mundo com um humor despreocupado e bebendo rosé, embora isso ajude, é claro. É também que a comida é mais simples no verão, há uma abundância de produtos frescos e sazonais para brincar. E, ao contrário dos vegetais de raiz do outono, que têm tudo a ver com torrefação lenta, ou os produtos de inverno amargo que realmente só se destacam com um refogado bem feito, bons ingredientes de verão pedem pouco (ou nada) mais. Pense em tomates (a variedade rechonchuda e saborosa em um prato bonito com um fiozinho de azeite e algumas folhas de manjericão espalhadas), um pão, um pouco de charcutaria, uma garrafa de vinho e você está a meio caminho de um jantar completo. E aqueles suculentos melões de laranja doce que estão entrando na temporada agora, corte-os e cubra-os com fatias de presunto crudo salgado e você terá prosciutto e melone benção.

A comida de verão, você vê, é uma gratificação instantânea que faz até mesmo aqueles de nós que não se chamam cozinheiros se sentirem intuitivos, legais e confiantes na cozinha. Comece com burrata, compre, muito. Burrata em um prato com um fiozinho de azeite e coberto com quase tudo. A receita abaixo pede slithers de limões em conserva, que são picantes e salgados e fazem o elogio mais extravagante à cremosidade requintada do queijo, mas existem inúmeras outras variações sobre o mesmo tema que funcionam tão bem. Experimente a burrata com alguns tomates-bebê doces, talvez um fiozinho de salsa verde ou um punhado de azeitonas pretas picadas e alcaparras. Francamente, mesmo a burrata sozinha é sublime.

Panzanella é outro favorito meu, uma salada de pão toscano, seu próprio nome pan-za-nella rola para fora da língua com o mesmo charme lânguido inebriante da dolce-vita. Na minha opinião, é a encarnação culinária de la dolce vita. Essencialmente: pão rasgado em pedaços grosseiros, embebido em azeite de oliva e misturado com tomates, cebola roxa doce, erva-doce, azeitonas e até anchovas ou uma lata de atum, se tiver à mão. Eu adoro panzanella, é o tipo de prato que não existe maneira certa ou errada de fazer.

Para o resto: são os pequenos toques que criam essa sensação de ocasião. Lindos guardanapos de linho, bem passados ​​e colocados em seus talheres (se você não tiver bons guardanapos, toalhas de chá servirão), melhor ainda se eles forem incompatíveis, pois adiciona personalidade à mesa. Um jarro de flores: peônias rosa ou rosas exageradas de jardim, com alguns ramos de lavanda, sálvia e vegetação desordenada misturados. Cuidado para não cortar os caules com muita rigidez, você deseja criar aquela aparência casual de que foram colhidos do seu jardim - mesmo se você não tiver um jardim. E se for jantar, então velas, muitas delas e de todas as alturas diferentes. A luz de velas mascara os pecados das cozinhas mais simples e transformará praticamente qualquer mesa de jantar antiga em algo totalmente mágico.

E por último, mas não menos importante: sobremesa. A sobremesa eleva todas as refeições, por mais humildes ou simples que sejam. Não precisa ser algum tipo de grande confecção culinária que você possa comprar uma torta de frutas ou um bolo na loja, certamente não há vergonha nisso. Sempre há sorvete, comprado em uma gelateria decente e servido em cones - isso dá à festa um charme ao ar livre e quem não gosta de comer sorvete de casquinha? Mas nesta época do ano, considere também uma tigela de morangos, empilhados de forma extravagante (mais é sempre mais nesses casos) e servidos com creme de leite. Ou frutas silvestres que nadam em seus sucos e vinho tinto com consistência de calda. E aí está, a (s) receita (s) para um jantar perfeito sem cozimento.


Como organizar um lindo jantar de verão sem cozinhar

Para revisar este artigo, visite Meu perfil e, em seguida, Exibir histórias salvas.

Na cozinha com Skye McAlpine.

Para revisar este artigo, visite Meu perfil e, em seguida, Exibir histórias salvas.

Meu tipo favorito de festa é o que acontece no último minuto. Uma bebida rápida em casa que se transforma em um jantar adequado. Aquele tipo de noite que é deliciosamente espontâneo, onde você cozinha e conversa e em algum lugar ao longo do caminho você come. É tudo muito casual e não tem nenhum dos rigores enfadonhos que as palavras & quotdinner & quot e & quotfesta & quot inevitavelmente parecem evocar quando ditas juntas.

Este tipo de entretenimento sem esforço - às vezes improvisado no calor do momento, às vezes não - é, francamente, o que faço. É o que eu amo. E eu acho que é mais fácil no verão, não é só porque o clima deixa todo mundo com um humor despreocupado e bebendo rosé, embora isso ajude, é claro. É também que a comida é mais simples no verão, há uma abundância de produtos frescos e sazonais para brincar. E ao contrário dos vegetais de raiz do outono, que têm tudo a ver com torrefação lenta, ou os produtos de inverno amargo que realmente só se destacam com um refogado bem feito, bons ingredientes de verão pedem pouco (ou nada) mais. Pense em tomates (a variedade rechonchuda e saborosa em um prato bonito com um fiozinho de azeite e algumas folhas de manjericão espalhadas), um pão, um pouco de charcutaria, uma garrafa de vinho e você está no meio do caminho para um jantar completo. E aqueles suculentos melões de laranja doce que estão entrando na temporada agora, corte-os e cubra-os com fatias de presunto crudo salgado e você terá prosciutto e melone benção.

A comida de verão, você vê, é uma gratificação instantânea que faz até mesmo aqueles de nós que não se chamam cozinheiros se sentirem intuitivos, legais e confiantes na cozinha. Comece com burrata, compre, muito. Burrata em um prato com um fiozinho de azeite e coberto com quase tudo. A receita abaixo pede slithers de limões em conserva, que são picantes e salgados e fazem o elogio mais extravagante à cremosidade requintada do queijo, mas existem inúmeras outras variações sobre o mesmo tema que funcionam tão lindamente quanto. Experimente a burrata com alguns tomates-bebê doces, talvez um fiozinho de salsa verde ou um punhado de azeitonas pretas picadas e alcaparras. Francamente, mesmo a burrata sozinha é sublime.

Panzanella é outro favorito meu, uma salada de pão toscano, seu próprio nome pan-za-nella rola para fora da língua com o mesmo charme lânguido inebriante da dolce-vita. Na minha opinião, é a encarnação culinária de la dolce vita. Essencialmente: pão rasgado em pedaços grosseiros, embebido em azeite de oliva e misturado com tomates, cebola roxa doce, erva-doce, azeitonas e até anchovas ou uma lata de atum, se tiver à mão. Eu adoro panzanella, é o tipo de prato que não existe maneira certa ou errada de fazer.

Para o resto: são os pequenos toques que criam essa sensação de ocasião. Bonitos guardanapos de linho, bem passados ​​e colocados em seus talheres (se você não tiver bons guardanapos, toalhas de chá servem), melhor ainda se eles forem incompatíveis, pois adiciona personalidade à mesa. Um jarro de flores: peônias cor-de-rosa ou rosas exageradas de jardim, com alguns ramos de lavanda, sálvia e folhagem desordenada misturada. Cuidado para não cortar os caules com muita rigidez, você deseja criar aquela aparência casual de que foram colhidos do seu jardim - mesmo se você não tiver um jardim. E se for jantar, então velas, muitas delas e de todas as alturas diferentes. A luz de velas mascara os pecados das cozinhas mais simples e transformará praticamente qualquer mesa de jantar antiga em algo totalmente mágico.

E por último, mas não menos importante: sobremesa. A sobremesa eleva todas as refeições, por mais humildes ou simples que sejam. Não precisa ser algum tipo de grande confecção culinária que você possa comprar uma torta de frutas ou um bolo na loja, certamente não há vergonha nisso. Sempre tem sorvete, comprado em uma gelateria decente e servido em cones - isso dá à festa um charme ao ar livre e quem não gosta de comer sorvete de casquinha? Mas nesta época do ano, considere também uma tigela de morangos, empilhados de forma extravagante (mais é sempre mais nesses casos) e servidos com creme de leite. Ou frutas silvestres que nadam em seus sucos e vinho tinto com consistência de calda. E aí está, a (s) receita (s) para um jantar perfeito sem cozimento.


Como organizar um lindo jantar de verão sem cozinhar

Para revisar este artigo, visite Meu perfil e, em seguida, Exibir histórias salvas.

Na cozinha com Skye McAlpine.

Para revisar este artigo, visite Meu perfil e, em seguida, Exibir histórias salvas.

Meu tipo favorito de festa é o que acontece no último minuto. Uma bebida rápida em casa que se transforma em um jantar adequado. Aquele tipo de noite que é deliciosamente espontâneo, onde você cozinha e conversa e em algum lugar ao longo do caminho você come. É tudo muito casual e não tem nenhum dos escrúpulos enfadonhos que as palavras & quotdinner & quot e & quotfesta & quot inevitavelmente parecem evocar quando ditas juntas.

Este tipo de entretenimento sem esforço - às vezes improvisado no calor do momento, às vezes não - é, francamente, o que faço. É o que eu amo. E eu acho que é mais fácil no verão, não é apenas porque o clima deixa todo mundo com um humor despreocupado e bebendo rosé, embora isso ajude, é claro. É também que a comida é mais simples no verão, há uma abundância de produtos frescos e sazonais para brincar. E ao contrário dos vegetais de raiz do outono, que têm tudo a ver com torrefação lenta, ou os produtos de inverno amargo que realmente só se destacam com um refogado bem feito, bons ingredientes de verão pedem pouco (ou nada) mais. Pense em tomates (a variedade rechonchuda e saborosa em um prato bonito com um fiozinho de azeite e algumas folhas de manjericão espalhadas), um pão, um pouco de charcutaria, uma garrafa de vinho e você está no meio do caminho para um jantar completo. E aqueles suculentos melões de laranja doce que estão entrando na temporada agora, corte-os e cubra-os com fatias de presunto crudo salgado e você terá prosciutto e melone benção.

A comida de verão, você vê, é uma gratificação instantânea que faz até mesmo aqueles de nós que não se chamam cozinheiros se sentirem intuitivos, legais e confiantes na cozinha. Comece com burrata, compre, muito. Burrata em um prato com um fiozinho de azeite e coberto com quase tudo. A receita abaixo pede slithers de limões em conserva, que são picantes e salgados e fazem o elogio mais extravagante à cremosidade requintada do queijo, mas existem inúmeras outras variações sobre o mesmo tema que funcionam tão lindamente quanto. Experimente a burrata com alguns tomates-bebê doces, talvez um fiozinho de salsa verde ou um punhado de azeitonas pretas picadas e alcaparras. Francamente, mesmo a burrata sozinha é sublime.

Panzanella é outro favorito meu, uma salada de pão toscano, seu próprio nome pan-za-nella rola para fora da língua com o mesmo charme lânguido inebriante da dolce-vita. Na minha opinião, é a encarnação culinária de la dolce vita. Essencialmente: pão rasgado em pedaços grosseiros, ensopado em azeite de oliva e misturado com tomates, cebola roxa doce, erva-doce, azeitonas e até anchovas ou uma lata de atum, se tiver à mão. Eu amo panzanella, é o tipo de prato que não existe maneira certa ou errada de fazer.

Para o resto: são os pequenos toques que criam essa sensação de ocasião. Lindos guardanapos de linho, bem passados ​​e colocados em seus talheres (se você não tiver bons guardanapos, toalhas de chá servirão), melhor ainda se eles forem incompatíveis, pois adiciona personalidade à mesa. Um jarro de flores: peônias rosa ou rosas exageradas de jardim, com alguns ramos de lavanda, sálvia e vegetação desordenada misturados. Cuidado para não cortar os caules com muita rigidez, você deseja criar aquela aparência casual de que foram colhidos do seu jardim - mesmo se você não tiver um jardim. E se for jantar, então velas, muitas delas e de todas as alturas diferentes. A luz de velas mascara os pecados das cozinhas mais simples e transformará praticamente qualquer mesa de jantar antiga em algo totalmente mágico.

E por último, mas não menos importante: sobremesa. A sobremesa eleva todas as refeições, por mais humildes ou simples que sejam. Não precisa ser algum tipo de grande confecção culinária que você possa comprar uma torta de frutas ou um bolo na loja, certamente não há vergonha nisso. Sempre tem sorvete, comprado em uma gelateria decente e servido em cones - isso dá à festa um charme ao ar livre e quem não gosta de comer sorvete de casquinha? Mas nesta época do ano, considere também uma tigela de morangos, empilhados de forma extravagante (mais é sempre mais nesses casos) e servidos com creme de leite. Ou frutas silvestres que nadam em seus sucos e vinho tinto com consistência de calda. E aí está, a (s) receita (s) para um jantar perfeito sem cozimento.


Como organizar um lindo jantar de verão sem cozinhar

Para revisar este artigo, visite Meu perfil e, em seguida, Exibir histórias salvas.

Na cozinha com Skye McAlpine.

Para revisar este artigo, visite Meu perfil e, em seguida, Exibir histórias salvas.

Meu tipo favorito de festa é o que acontece no último minuto. Uma bebida rápida em casa que se transforma em um jantar adequado à mesa. Aquele tipo de noite que é deliciosamente espontâneo, onde você cozinha e conversa e em algum lugar ao longo do caminho você come. É tudo muito casual e não tem nenhum dos escrúpulos enfadonhos que as palavras & quotdinner & quot e & quotfesta & quot inevitavelmente parecem evocar quando ditas juntas.

Este tipo de entretenimento sem esforço - às vezes improvisado no calor do momento, às vezes não - é, francamente, o que faço. É o que eu amo. E eu acho que é mais fácil no verão, não é apenas porque o clima deixa todo mundo com um humor despreocupado e bebendo rosé, embora isso ajude, é claro. É também que a comida é mais simples no verão, há uma abundância de produtos frescos e sazonais para brincar. E ao contrário dos vegetais de raiz do outono, que têm tudo a ver com torrefação lenta, ou os produtos de inverno amargo que realmente só se destacam com um refogado bem feito, bons ingredientes de verão pedem pouco (ou nada) mais. Pense em tomates (a variedade rechonchuda e saborosa em um prato bonito com um fiozinho de azeite e algumas folhas de manjericão espalhadas), um pão, um pouco de charcutaria, uma garrafa de vinho e você está a meio caminho de um jantar completo. E aqueles suculentos melões de laranja doce que estão entrando na estação agora, corte-os e cubra-os com fatias de prosciutto crudo salgado e você terá prosciutto e melone benção.

A comida de verão, você vê, é uma gratificação instantânea que faz até mesmo aqueles de nós que não se chamam cozinheiros se sentirem intuitivos, legais e confiantes na cozinha. Comece com burrata, compre, muito. Burrata em um prato com um fiozinho de azeite e coberto com quase tudo. A receita abaixo pede slithers de limões em conserva, que são picantes e salgados e fazem o elogio mais extravagante à cremosidade requintada do queijo, mas existem inúmeras outras variações sobre o mesmo tema que funcionam tão bem. Experimente a burrata com alguns tomates-bebê doces, talvez um fiozinho de salsa verde ou um punhado de azeitonas pretas picadas e alcaparras. Francamente, mesmo a burrata sozinha é sublime.

Panzanella é outro favorito meu, uma salada de pão toscano, seu próprio nome pan-za-nella rola para fora da língua com o mesmo charme lânguido inebriante da dolce-vita. Na minha opinião, é a encarnação culinária de la dolce vita. Essencialmente: pão rasgado em pedaços grosseiros, embebido em azeite de oliva e misturado com tomates, cebola roxa doce, erva-doce, azeitonas e até anchovas ou uma lata de atum, se tiver à mão. Eu amo panzanella, é o tipo de prato que não existe maneira certa ou errada de fazer.

Para o resto: são os pequenos toques que criam essa sensação de ocasião. Bonitos guardanapos de linho, bem passados ​​e colocados em seus talheres (se você não tiver bons guardanapos, toalhas de chá servem), melhor ainda se eles forem incompatíveis, pois adiciona personalidade à mesa. Um jarro de flores: peônias cor-de-rosa ou rosas exageradas de jardim, com alguns ramos de lavanda, sálvia e folhagem desordenada misturada. Cuidado para não cortar os caules com muita rigidez, você deseja criar aquela aparência casual de que foram colhidos do seu jardim - mesmo se você não tiver um jardim. E se for jantar, então velas, muitas delas e de todas as alturas diferentes. A luz de velas mascara os pecados das cozinhas mais simples e transformará praticamente qualquer mesa de jantar antiga em algo totalmente mágico.

E por último, mas não menos importante: sobremesa. A sobremesa eleva todas as refeições, por mais humildes ou simples que sejam. Não precisa ser algum tipo de grande confecção culinária que você possa comprar uma torta de frutas ou um bolo na loja, certamente não há vergonha nisso. Sempre tem sorvete, comprado em uma gelateria decente e servido em cones - isso dá à festa um charme ao ar livre e quem não gosta de comer sorvete de casquinha? Mas nesta época do ano, considere também uma tigela de morangos, empilhados de forma extravagante (mais é sempre mais nesses casos) e servidos com creme de leite. Ou frutas silvestres que nadam em seus sucos e vinho tinto com consistência de calda. E aí está, a (s) receita (s) para um jantar perfeito sem cozimento.


Como organizar um lindo jantar de verão sem cozinhar

Para revisar este artigo, visite Meu perfil e, em seguida, Exibir histórias salvas.

Na cozinha com Skye McAlpine.

Para revisar este artigo, visite Meu perfil e, em seguida, Exibir histórias salvas.

Meu tipo favorito de festa é o que acontece no último minuto. Uma bebida rápida em casa que se transforma em um jantar adequado. Aquele tipo de noite que é deliciosamente espontâneo, onde você cozinha e conversa e em algum lugar ao longo do caminho você come. É tudo muito casual e não tem nenhum dos escrúpulos enfadonhos que as palavras & quotdinner & quot e & quotfesta & quot inevitavelmente parecem evocar quando ditas juntas.

Este tipo de entretenimento sem esforço - às vezes improvisado no calor do momento, às vezes não - é, francamente, o que faço. É o que eu amo. E eu acho que é mais fácil no verão, não é só porque o clima deixa todo mundo com um humor despreocupado e bebendo rosé, embora isso ajude, é claro. É também que a comida é mais simples no verão, há uma abundância de produtos frescos e sazonais para brincar. E ao contrário dos vegetais de raiz do outono, que têm tudo a ver com torrefação lenta, ou os produtos de inverno amargo que realmente só se destacam com um refogado bem feito, bons ingredientes de verão pedem pouco (ou nada) mais. Pense em tomates (a variedade rechonchuda e saborosa em um prato bonito com um fiozinho de azeite e algumas folhas de manjericão espalhadas), um pão, um pouco de charcutaria, uma garrafa de vinho e você está no meio do caminho para um jantar completo. E aqueles suculentos melões de laranja doce que estão entrando na temporada agora, corte-os e cubra-os com fatias de presunto crudo salgado e você terá prosciutto e melone benção.

A comida de verão, você vê, é uma gratificação instantânea que faz até mesmo aqueles de nós que não se dizem cozinheiros se sentirem intuitivos, legais e confiantes na cozinha. Comece com burrata, compre, muito. Burrata em um prato com um fiozinho de azeite e coberto com quase tudo. A receita abaixo pede slithers de limões em conserva, que são picantes e salgados e fazem o elogio mais extravagante à cremosidade requintada do queijo, mas existem inúmeras outras variações sobre o mesmo tema que funcionam tão bem. Experimente a burrata com alguns tomates-bebê doces, talvez um fiozinho de salsa verde ou um punhado de azeitonas pretas picadas e alcaparras. Francamente, até a burrata sozinha é sublime.

Panzanella é outro favorito meu, uma salada de pão toscano, seu próprio nome pan-za-nella rola para fora da língua com o mesmo charme lânguido inebriante da dolce-vita. Na minha opinião, é a encarnação culinária de la dolce vita. Essencialmente: pão rasgado em pedaços grosseiros, ensopado em azeite de oliva e misturado com tomates, cebola roxa doce, erva-doce, azeitonas e até anchovas ou uma lata de atum, se tiver à mão. Eu adoro panzanella, é o tipo de prato que não existe maneira certa ou errada de fazer.

Para o resto: são os pequenos toques que criam essa sensação de ocasião. Bonitos guardanapos de linho, bem passados ​​e colocados em seus talheres (se você não tiver bons guardanapos, toalhas de chá servem), melhor ainda se eles forem incompatíveis, pois adiciona personalidade à mesa. Um jarro de flores: peônias rosa ou rosas exageradas de jardim, com alguns ramos de lavanda, sálvia e vegetação desordenada misturados. Cuidado para não cortar os caules com muita rigidez, você deseja criar aquela aparência casual de que foram colhidos do seu jardim, mesmo se você não tiver um jardim. E se for jantar, então velas, muitas delas e de todas as alturas diferentes. A luz de velas mascara os pecados das cozinhas mais simples e transformará praticamente qualquer mesa de jantar antiga em algo totalmente mágico.

E por último, mas não menos importante: sobremesa. A sobremesa eleva todas as refeições, por mais humildes ou simples que sejam. It needn’t be some kind of great culinary confection you could buy a fruit tart or a cake from the store, there is certainly no shame in that. There is always ice cream, bought from a decent gelateria and served in cones—it gives the party an alfresco charm and who doesn't like to eat ice cream from a cone? But at this time of year, also consider a bowl of strawberries, piled extravagantly high (more is always more in these instances), and served with clotted cream. Or berries that swim in their juices and syrup-y red wine. And there you have it, the recipe(s) for a perfect no-cook dinner party.


How to Host a Gorgeous Summer Dinner Party Without Cooking

Para revisar este artigo, visite Meu perfil e, em seguida, Exibir histórias salvas.

In the kitchen with Skye McAlpine.

Para revisar este artigo, visite Meu perfil e, em seguida, Exibir histórias salvas.

My favorite kind of party is the kind that comes together at the last minute. A quick drink at home that turns into a proper sit down dinner. That sort of evening that's deliciously spontaneous, where you cook and you chat and somewhere along the way, you eat. It’s all very casual and has none of the stuffy rigmarole that the words "dinner" and "party" inevitably seem to conjure when spoken together.

This kind of effortless entertaining—sometimes improvised on the spur of the moment, sometimes not—is, frankly, what I’m all about. It’s what I love. And I find, it comes easiest in the summer it’s not just that the weather puts everyone in a rosé-drinking, carefree kind of a mood, though that helps, of course. It’s also that food is simplest in summer there is a bounty of fresh, seasonal produce to play around with. And unlike the root vegetables of autumn which are all about slow roasting, or the bitter winter produce that really only comes into its own with much artful braising, good summertime ingredients call for little (or nothing) else. Think tomatoes (the plump, flavorsome variety on a pretty plate with a drizzle of olive oil and a few strewn basil leaves), a loaf of bread, some charcuterie, a bottle of wine, and you're halfway to a complete dinner. And those juicy, sweet orange melons that are just coming into season right now, slice and drape them with slithers of salty prosciutto crudo and you have yourself prosciutto e melone bliss.

Summer food, you see, is instant gratification it makes even those of us who don’t call ourselves cooks feel intuitive, cool, and confident in the kitchen. Start with burrata buy it, lots of it. Burrata on a plate with a drizzle of olive oil and topped with pretty much anything. The recipe below calls for slithers of preserved lemons, that are tang-y and salty and pay the most extravagant compliment to the exquisite creaminess of the cheese but there are countless other variations on that same theme which work every bit as beautifully. Try burrata with a few sweet baby tomatoes a drizzle of salsa verde perhaps or a handful of roughly chopped black olives and capers. Frankly, even burrata on it’s own is sublime.

Panzanella is another favorite of mine a Tuscan bread salad, its very name pan-za-nella rolls off the tongue with the same intoxicatingly languid charm of dolce-vita. To my mind, it is the culinary incarnation of la dolce vita. Essentially: bread torn roughly into pieces, drenched in grassy olive oil, and tossed with tomatoes, sweet red onion, fennel, olives, and even anchovies or a tin of tuna if you have them on hand. I love panzanella it’s the kind of dish there is no right or wrong way of making.

For the rest: it’s the small touches that create that sense of occasion. Nice linen napkins, neatly ironed and laid on your place settings (if you don’t have good napkins, tea towels will do), better still if they’re mismatched as it adds character to the table. A jug of flowers: pink peonies, or overblown garden roses, with a few sprigs of lavender, sage, and higgledy piggledy greenery mixed in. Mind not to cut the stems too stiffly, you want to create that casual semblance they’ve been picked from your garden—even if you don’t have a garden. And if it’s dinner, then candles, lots of them and of all different heights. Candlelight masks the sins of the plainest kitchens, and will transform pretty much any old dining table into a something utterly magical.

And last but not least: dessert. Dessert elevates all meals however humble or simple they might be. It needn’t be some kind of great culinary confection you could buy a fruit tart or a cake from the store, there is certainly no shame in that. There is always ice cream, bought from a decent gelateria and served in cones—it gives the party an alfresco charm and who doesn't like to eat ice cream from a cone? But at this time of year, also consider a bowl of strawberries, piled extravagantly high (more is always more in these instances), and served with clotted cream. Or berries that swim in their juices and syrup-y red wine. And there you have it, the recipe(s) for a perfect no-cook dinner party.


How to Host a Gorgeous Summer Dinner Party Without Cooking

Para revisar este artigo, visite Meu perfil e, em seguida, Exibir histórias salvas.

In the kitchen with Skye McAlpine.

Para revisar este artigo, visite Meu perfil e, em seguida, Exibir histórias salvas.

My favorite kind of party is the kind that comes together at the last minute. A quick drink at home that turns into a proper sit down dinner. That sort of evening that's deliciously spontaneous, where you cook and you chat and somewhere along the way, you eat. It’s all very casual and has none of the stuffy rigmarole that the words "dinner" and "party" inevitably seem to conjure when spoken together.

This kind of effortless entertaining—sometimes improvised on the spur of the moment, sometimes not—is, frankly, what I’m all about. It’s what I love. And I find, it comes easiest in the summer it’s not just that the weather puts everyone in a rosé-drinking, carefree kind of a mood, though that helps, of course. It’s also that food is simplest in summer there is a bounty of fresh, seasonal produce to play around with. And unlike the root vegetables of autumn which are all about slow roasting, or the bitter winter produce that really only comes into its own with much artful braising, good summertime ingredients call for little (or nothing) else. Think tomatoes (the plump, flavorsome variety on a pretty plate with a drizzle of olive oil and a few strewn basil leaves), a loaf of bread, some charcuterie, a bottle of wine, and you're halfway to a complete dinner. And those juicy, sweet orange melons that are just coming into season right now, slice and drape them with slithers of salty prosciutto crudo and you have yourself prosciutto e melone bliss.

Summer food, you see, is instant gratification it makes even those of us who don’t call ourselves cooks feel intuitive, cool, and confident in the kitchen. Start with burrata buy it, lots of it. Burrata on a plate with a drizzle of olive oil and topped with pretty much anything. The recipe below calls for slithers of preserved lemons, that are tang-y and salty and pay the most extravagant compliment to the exquisite creaminess of the cheese but there are countless other variations on that same theme which work every bit as beautifully. Try burrata with a few sweet baby tomatoes a drizzle of salsa verde perhaps or a handful of roughly chopped black olives and capers. Frankly, even burrata on it’s own is sublime.

Panzanella is another favorite of mine a Tuscan bread salad, its very name pan-za-nella rolls off the tongue with the same intoxicatingly languid charm of dolce-vita. To my mind, it is the culinary incarnation of la dolce vita. Essentially: bread torn roughly into pieces, drenched in grassy olive oil, and tossed with tomatoes, sweet red onion, fennel, olives, and even anchovies or a tin of tuna if you have them on hand. I love panzanella it’s the kind of dish there is no right or wrong way of making.

For the rest: it’s the small touches that create that sense of occasion. Nice linen napkins, neatly ironed and laid on your place settings (if you don’t have good napkins, tea towels will do), better still if they’re mismatched as it adds character to the table. A jug of flowers: pink peonies, or overblown garden roses, with a few sprigs of lavender, sage, and higgledy piggledy greenery mixed in. Mind not to cut the stems too stiffly, you want to create that casual semblance they’ve been picked from your garden—even if you don’t have a garden. And if it’s dinner, then candles, lots of them and of all different heights. Candlelight masks the sins of the plainest kitchens, and will transform pretty much any old dining table into a something utterly magical.

And last but not least: dessert. Dessert elevates all meals however humble or simple they might be. It needn’t be some kind of great culinary confection you could buy a fruit tart or a cake from the store, there is certainly no shame in that. There is always ice cream, bought from a decent gelateria and served in cones—it gives the party an alfresco charm and who doesn't like to eat ice cream from a cone? But at this time of year, also consider a bowl of strawberries, piled extravagantly high (more is always more in these instances), and served with clotted cream. Or berries that swim in their juices and syrup-y red wine. And there you have it, the recipe(s) for a perfect no-cook dinner party.


How to Host a Gorgeous Summer Dinner Party Without Cooking

Para revisar este artigo, visite Meu perfil e, em seguida, Exibir histórias salvas.

In the kitchen with Skye McAlpine.

Para revisar este artigo, visite Meu perfil e, em seguida, Exibir histórias salvas.

My favorite kind of party is the kind that comes together at the last minute. A quick drink at home that turns into a proper sit down dinner. That sort of evening that's deliciously spontaneous, where you cook and you chat and somewhere along the way, you eat. It’s all very casual and has none of the stuffy rigmarole that the words "dinner" and "party" inevitably seem to conjure when spoken together.

This kind of effortless entertaining—sometimes improvised on the spur of the moment, sometimes not—is, frankly, what I’m all about. It’s what I love. And I find, it comes easiest in the summer it’s not just that the weather puts everyone in a rosé-drinking, carefree kind of a mood, though that helps, of course. It’s also that food is simplest in summer there is a bounty of fresh, seasonal produce to play around with. And unlike the root vegetables of autumn which are all about slow roasting, or the bitter winter produce that really only comes into its own with much artful braising, good summertime ingredients call for little (or nothing) else. Think tomatoes (the plump, flavorsome variety on a pretty plate with a drizzle of olive oil and a few strewn basil leaves), a loaf of bread, some charcuterie, a bottle of wine, and you're halfway to a complete dinner. And those juicy, sweet orange melons that are just coming into season right now, slice and drape them with slithers of salty prosciutto crudo and you have yourself prosciutto e melone bliss.

Summer food, you see, is instant gratification it makes even those of us who don’t call ourselves cooks feel intuitive, cool, and confident in the kitchen. Start with burrata buy it, lots of it. Burrata on a plate with a drizzle of olive oil and topped with pretty much anything. The recipe below calls for slithers of preserved lemons, that are tang-y and salty and pay the most extravagant compliment to the exquisite creaminess of the cheese but there are countless other variations on that same theme which work every bit as beautifully. Try burrata with a few sweet baby tomatoes a drizzle of salsa verde perhaps or a handful of roughly chopped black olives and capers. Frankly, even burrata on it’s own is sublime.

Panzanella is another favorite of mine a Tuscan bread salad, its very name pan-za-nella rolls off the tongue with the same intoxicatingly languid charm of dolce-vita. To my mind, it is the culinary incarnation of la dolce vita. Essentially: bread torn roughly into pieces, drenched in grassy olive oil, and tossed with tomatoes, sweet red onion, fennel, olives, and even anchovies or a tin of tuna if you have them on hand. I love panzanella it’s the kind of dish there is no right or wrong way of making.

For the rest: it’s the small touches that create that sense of occasion. Nice linen napkins, neatly ironed and laid on your place settings (if you don’t have good napkins, tea towels will do), better still if they’re mismatched as it adds character to the table. A jug of flowers: pink peonies, or overblown garden roses, with a few sprigs of lavender, sage, and higgledy piggledy greenery mixed in. Mind not to cut the stems too stiffly, you want to create that casual semblance they’ve been picked from your garden—even if you don’t have a garden. And if it’s dinner, then candles, lots of them and of all different heights. Candlelight masks the sins of the plainest kitchens, and will transform pretty much any old dining table into a something utterly magical.

And last but not least: dessert. Dessert elevates all meals however humble or simple they might be. It needn’t be some kind of great culinary confection you could buy a fruit tart or a cake from the store, there is certainly no shame in that. There is always ice cream, bought from a decent gelateria and served in cones—it gives the party an alfresco charm and who doesn't like to eat ice cream from a cone? But at this time of year, also consider a bowl of strawberries, piled extravagantly high (more is always more in these instances), and served with clotted cream. Or berries that swim in their juices and syrup-y red wine. And there you have it, the recipe(s) for a perfect no-cook dinner party.